1. Home
  2. T10 - ECF - Escrituração Contábil Fiscal
  3. ECF000 – ECF – Escrituração Contábil Fiscal – Manual Completo

ECF000 – ECF – Escrituração Contábil Fiscal – Manual Completo

ÍNDICE

Versão 1.24 (18/11/2020)

1 – APRESENTAÇÃO

Esse manual apresenta as orientações para a configuração e utilização do módulo ECF – Escrituração Contábil Fiscal do addon T10 Extreme, desenvolvido para o SAP Business One.

 

2 – INFORMAÇÕES INICIAIS

As informações que aparecem nas telas deste manual, utilizadas para preencher os campos do sistema, servem apenas para exemplificação e não devem ser consideradas como orientação sobre o conteúdo a ser preenchido ou sobre as regras fiscais vigentes. Sendo assim, cada usuário é responsável por toda informação a ser inserida no seu próprio sistema. Todos os exemplos foram elaborados na configuração padrão do SAP Business One.

Para facilitar a interpretação deste manual, utilizamos a cor azul para identificar o nome de qualquer campo de preenchimento, nome de tela ou dado do sistema e a cor verde para indicar os caminhos de menus a serem seguidos.

 

A reprodução deste manual, ou de parte dele, é proibida.

 

3 – INSTALAÇÃO

O módulo Escrituração Contábil Fiscal (ECF) é habilitado a partir da instalação do T10 Extreme, portanto, primeiro é necessário fazer a instalação do add-on e adquirir as licenças necessárias.

 

Observação: Para mais informações sobre a instalação do add-on T10 Extreme, consulte o manual T10_Extreme_Instalacao, disponível no portal de suporte da Skill Consulting: http://chamados.skilljugaad.com.br/.

 

Depois de instalar o add-on, de adquirir as licenças necessárias e atualizar os módulos, é possível acessar a funcionalidade para a ECF:

 

Tela 1 – Módulo da ECF habilitado sob o menu do T10

 

4 – CONFIGURAÇÃO

 

4.1 – Cadastro

A primeira etapa para a escrituração da ECF é o cadastro das empresas. Para isso, clique em Cadastro de Escrituração para exibir a janela de Administrador de Escrituração da ECF.

 

Tela 2 – Exibição da tela de Administrador de Escrituração da ECF

 

Depois, clique no botão Configurar. Será exibida uma segunda janela para o cadastramento da empresa. Nessa janela, clique no botão Nova Empresa.

 

Tela 3 – Janela de configurações da ECF

 

A janela Cadastro de Empresas será exibida para inserção das informações da empresa e de suas filiais, se houver.

 

Tela 4 – Janela para cadastro da empresa e suas filiais

 

No campo Tipo de Empresa deve-se informar se a empresa é Matriz ou Filial. Em seguida, deve ser informada a Base de Dados e a Filial.

 

Portanto, por exemplo, no caso de uma empresa matriz com uma filial, devem ser realizados dois cadastros. O primeiro para a matriz, indicando a Forma de Tributação, a Qualificação da Pessoa Jurídica, se a Empresa Utiliza Centro de Custo e Saldos Contábeis utilizar Data de:

 

Tela 5 – Exemplo de cadastro de empresa matriz

 

Em seguida, outro cadastro deve ser feito para a filial e a matriz deve ser identificada no quadro inferior com os Dados da Matriz:

 

Tela 6 – Exemplo de cadastro de empresa filial

 

Observe como as empresas aparecem na tela de Configurações da ECF, depois de efetuar os cadastros:

 

Tela 7 – Exemplo de como são exibidos os cadastros das empresas

 

Observações:

  • esse cadastro é transportado automaticamente para o e-Lalur e e-Lacs. No entanto, também é possível realizar o cadastro das empresas nos módulos e-Lalur e e-Lacs.
  • quando uma Filial ou Empresa Matriz for excluída da Base da ECF, será exibido o status S no campo Excluído do Gerador de consultas, para a Filial ou para a Matriz e filiais vinculadas a ela, havendo a possibilidade de cadastrá-las novamente na base da ECF.

 

4.2 – Mapeamento de Contas Contábeis

O relacionamento do plano de contas do contribuinte com o plano de contas referencial da Receita Federal, bem como, a classificação da Natureza da conta, da Natureza e do Grupo da Sub-Conta e a indicação da Conta Vinculada podem ser realizados nos campos de usuário do Plano de Contas, acessível pelo menu Finanças do SAP Business One:

 

Tela 8 – Campos de usuário para informar a Natureza da Conta e a Conta Referencial no Plano de Contas

 

Esse relacionamento e essas classificações também podem ser realizadas no módulo da ECF após o cadastro da empresa em Mapeamento de Contas Contábeis:

 

Tela 9 – Botão para Mapeamento de Contas Contábeis

 

Na janela que é exibida, existem duas maneiras de realizar o mapeamento entre o plano do contribuinte e o plano referencial.

 

A) Aba Contribuinte: são apresentadas as contas do contribuinte com a opção de relacionar as contas do plano referencial.

 

Tela 10 – Mapeamento de contas referenciais pela aba Contribuinte

 

Nessa aba, também é possível informar a Natureza da Conta. Essa classificação pode ser feita por grupo pelo botão Natureza da Conta por Grupo.

 

Tela 11 – Indicação da Natureza da Conta por grupo

 

O campo Tipo de Atualização permite a escolha entre atualizar todas as contas ou apenas as contas que ainda não estão classificadas.

 

Observação: Para empresas que possuem a matriz e a filial, ou filiais, em bases distintas, após a configuração da natureza das contas na base da matriz é necessário replica-la para a base da filial. Esse procedimento pode ser feito pelo botão Copiar Natureza da Conta no Cadastro da Empresa, que somente é habilitado para bases distintas e ambiente não Cloud:

 

Tela 12 – Funcionalidade para copiar a natureza das contas em bases distintas

 

Para as subcontas abertas de acordo com o disposto na Lei 12.973/2014, é necessário:

  • Classificá-las em Natureza Sub-Conta conforme tabela da Receita Federal;
  • Identificar o grupo a qual pertencem em Grupo Sub-Conta. Essa identificação é livre e deve seguir as orientações do Manual da ECF da Receita Federal;
  • Identificar a que conta se referem em Conta Vinculada. De acordo com o Manual da ECF, uma subconta só pode ser referenciada a uma única conta contábil.

 

Tela 13 – Informações da Sub-Conta

 

Observação: caso exista a necessidade de excluir TODO o mapeamento, o usuário deve clicar em Limpar Mapeamento Referencial.

 

B) Aba Referencial: do lado esquerdo são apresentadas as contas do plano referencial e do lado direito as contas do contribuinte. Para realizar o mapeamento basta selecionar uma conta do Plano de Contas Referencial e uma ou mais contas do Plano de Contas do Contribuinte, depois, clicar em Vincular.

 

Tela 14 – Mapeamento do plano de contas referencial pela aba Referencial

 

Observação: é possível realizar o filtro da conta pelo Código ou Descrição.

 

O T10 Extreme atribui o plano de contas referencial, para a empresa Matriz, de acordo com a combinação da configuração do campo Forma de Tributação com os campos Qualificação da Pessoa Jurídica e Tipo de Entidade, da janela de Cadastro de Empresas, disponível nas configurações da ECF.

 

Tela 15 – Gatilho para atribuição do plano de contas referencial

 

O campo Qualificação da Pessoa Jurídica é habilitado se forem selecionadas as opções Lucro Real ou Lucro Presumido como forma de tributação.

 

Tela 16 – Campo habilitado quando for selecionada a opção Lucro Real ou Lucro Presumido

 

O Campo Tipo de Entidade é habilitado se forem utilizadas as opções Imune do IRPJ ou Isenta do IRPJ.

 

Tela 17 – Campo é habilitado quando for indicada a forma de tributação: Imune do IRPJ ou Isenta do IRPJ

 

Observação: Se a opção Lucro Arbitrado for utilizada, então, nenhum dos dois campos será habilitado.

 

A opção Descrição da Conta Contábil permite a seleção do nome da conta para a geração do Registro J050.

 

Tela 18 – Opção Descrição de Conta Contábil.

 

Observação: Lembramos que não é possível mapear diferentes contas referenciais para uma mesma conta contábil.

 

4.3 – Atualização das Tabelas

A atualização das tabelas da ECF, de acordo com a Receita Federal, é feita automaticamente na inicialização do add-on, porém, o computador precisa estar conectado à Internet para isso.

Também é possível utilizar o botão Atualizar Tabelas da ECF, na tela de Configurações da ECF, para atualizar as tabelas da ECF quando o addon já estiver em funcionamento.

 

Tela 19 – Botão para Atualizar as tabelas de acordo com a Receita Federal

 

Observação: recomendamos que esta ação seja feita antes do mapeamento de contas.

 

4.4 – Mapeamento de Cargas

Na aba Mapeamento de Cargas da tela Configurações da ECF, é possível vincular contas contábeis a alguns registros específicos da ECF para que os valores sejam escriturados automaticamente no momento de criar a escrituração.

 

Tela 20 – Botão para mapeamento de Cargas

 

Os registros que podem ser relacionados são habilitados para seleção no campo Tipo de Registro.

 

Tela 21 – Lista de registros que podem ser vinculados a contas contábeis

 

Em seguida é necessário informar a linha do registro onde a informação deve ser escriturada no campo Código Referência, a Conta Contábil e o Tipo de Valor (débito, crédito, saldo final ou inicial da conta).

 

Tela 22 – Exemplo de preenchimento do Mapeamento de Cargas

 

Observação: para o código de referência serão habilitadas apenas as opções de linha de acordo com o Tipo de Registro selecionado. Esse mapeamento não é obrigatório para o funcionamento do sistema.

 

4.5 – Mapeamento de Registros

Na aba Mapeamento de Registros da tela Configurações da ECF, é possível vincular contas contábeis a alguns registros específicos da ECF para que os valores sejam escriturados automaticamente no momento de criar a escrituração.

 

Tela 23 – Janela para mapeamento de registros

 

Para o campo Tipo de Registro, é possível selecionar a informação na janela que é exibida. Preencha as informações e clique no botão OK.

 

Observação: Atualmente, nessa tela só está disponível o registro Y540 e o código CNAE é carregado automaticamente do cadastro da empresa na ECF.

 

5 – LUCRO REAL

Para as empresas enquadradas no Lucro Real, existe a possibilidade de elaborar e configurar o Lalur e o Lacs por meio dos módulos e-Lalur e e-Lacs.

 

5.1 – Cadastro das Contas Para o Lalur e o Lacs

O primeiro passo obrigatório é o cadastro das contas do Lalur/Lacs, que deve ser feito por meio do botão Configurar na tela Administrador do e-Lalur.

 

Tela 24 – Administrador do e-Lalur

 

Na aba Contas e-Lalur/e-Lacs, ao clicar em Nova Conta, a tela para cadastro das informações é apresentada.

 

Tela 25 – Aba para cadastramento das contas do Lalur/Lacs

 

Devem ser cadastradas as informações referentes aos campos Código, Descrição, Data Criação e, se houver, a Dt.Limite p/Lançamentos das contas utilizadas no Lalur, indicando sempre a Empresa Matriz. Também devem ser cadastrados o Tipo do Imposto (IRPJ, CSLL ou Ambos), a Referência IRPJ e a Referência CSLL. A partir do leiaute 005, para todas as contas do e-Lalur e do e-Lacs que tenham controle em Parte B devem ser preenchidos os campos Cód. Padrão Parte B – IRPJ e Cód. Padrão Parte B – CSLL.

 

Tela 26 – Exemplo de cadastro de conta para o e-Lalur e o e-Lacs

 

Para os campos Referência IRPJ e Referência CSLL devem ser informados códigos de referência válidos para o período que será entregue de acordo com as datas de validade estabelecidas pela RFB. É possível visualizar as datas de inicio e fim de validade dos códigos nas colunas Dt. Início e Dt. Fim da tabela. Essa tabela é apresentada ao clicar com o botão TAB nos respectivos campos de referência.

 

Tela 27 – Colunas com as datas de inicio e fim de validade dos códigos de referência

 

Para os campos Cód. Padrão Parte B – IRPJ e Cód. Padrão Parte B – CSLL são habilitadas as opções de acordo com as referências de IRPJ e de CSLL preenchidas, pois deve existir correlação entre essas informações de acordo com as orientações do Manual de Orientação da ECF da Receita Federal.

 

O campo Inverter Saldo p/ECF? afeta os valores carregados no arquivo da ECF da parte A do e-Lalur e do e-Lacs da seguinte forma:

 

Tela 28 – Impacto do Inverter Saldo p/ECF no arquivo

 

Portanto, no arquivo gerado da ECF, os valores serão lançados com o sinal positivo ou negativo dependendo da configuração acima.

 

Observações:

  • O código e a descrição da conta são livres para cadastro. Já as referências, tanto do IRPJ como da CSLL, são habilitadas para seleção de acordo com as tabelas da Receita Federal;
  • Quando no campo Tipo do Imposto for selecionado Ambos, automaticamente a conta também é cadastrada no módulo e-Lacs.
  • Quando o campo Limite p/Lançamentos for informado, o sistema bloqueará lançamentos no Lalur/Lacs com data posterior à informada.

 

Para o cadastramento de contas do Lalur e do Lacs, existe, ainda, a funcionalidade de copiar contas entre empresas. Se duas empresas utilizam as mesmas contas, então não é necessário cadastrar várias vezes as mesmas informações. Basta utilizar o botão Copiar Contas entre Empresas.

 

Tela 29 – Funcionalidade para copiar contas entre empresas

 

O sistema ainda apresentará outra janela para serem indicadas a Empresa Origem e a Empresa Destino. Ao confirmar a mensagem, o sistema copiará todas as contas da origem para a empresa selecionada como Empresa Destino.

 

Tela 30 – Indique as empresas origem e destino para copiar as contas

 

5.2 – Mapeamento de Contas Contábeis Para Contas do Lalur /Lacs

Em seguida, existe a opção de vincular uma conta contábil a uma conta cadastrada para o Lalur/Lacs. Dessa forma, no momento de inserir uma nova apuração, é possível carregar os valores automaticamente para os registros correspondentes da ECF. Esse vínculo deve ser feito na aba Mapeamento de Contas do Lalur.

 

Tela 31 – Mapeamento de Contas do Lalur

 

No exemplo abaixo, é possível verificar que no campo Conta Lalur somente são habilitadas as contas cadastradas na aba Contas Lalur/Lacs. No campo Conta Contábil, deve ser selecionada uma conta do plano de contas do contribuinte e em Adição e em Exclusão devem ser informados quais valores devem ser considerados (débito/crédito ou não se aplica).

 

Tela 32 – Exemplo de mapeamento e-Lalur

 

A opção Controlar na Parte B, ao ser configurada como SIM, abre as opções LCM's a Débito e LCM's a Crédito. Esta parametrização possibilita que ao efetuar a carga de LCM's na Parte A, com base no mapeamento, automaticamente os valores sejam escriturados na Parte B.

 

Tela 33 – Exemplo de indicação de controle na Parte B

 

Observação: para o e-Lacs, na janela de Administrador do e-Lacs, aba de Mapeamento de Contas do Lacs, há um botão para Copiar Mapeamento do Lalur.

 

Tela 34 – Botão de Copiar Mapeamento do Lalur

 

Para o mapeamento de contas do Lalur, também existe a funcionalidade de copiar o mapeamento entre empresas. Se duas empresas utilizam o mesmo mapeamento, então não é necessário cadastrar várias vezes as mesmas informações. Basta utilizar o botão Copiar Mapeamento entre Empresas.

 

Tela 35 – Funcionalidade para copiar mapeamentos entre empresas

 

O sistema ainda apresentará outra janela para serem indicadas a Empresa Origem e a Empresa Destino. Ao confirmar a mensagem, o sistema copiará o mapeamento da Empresa Origem para a empresa selecionada como Empresa Destino.

 

Tela 36 – Indique as empresas origem e destino para copiar o mapeamento

 

5.3 – Cadastro do Histórico Padrão para e-Lalur/e-Lacs

A aba Histórico Padrão e-Lacs/e-Lalur tem como funcionalidade o cadastro do histórico padrão para a geração dos Registros M300 e M350. Para a inserção do histórico deve-se selecionar a empresa para carregar a lista de códigos referência da ECF para o IRPJ e a CSLL.

 

Tela 37 – Histórico Padrão e-Lacs/e-Lacs

 

Para o cadastramento do histórico, por código de referência, basta incluir, editar ou excluir o texto na coluna Histórico, para finalizar a operação clique na tecla TAB.

 

5.4 – Apuração Lucro Real

De volta à tela Administrador do e-Lalur, a partir do botão Nova Apuração, é possível cadastrar as apurações que, podem ser mensais ou trimestrais e as estimativas podem ser Balanço/Balancete de Suspensão/Redução ou Receita Bruta.

 

Tela 38 – Cadastro de Apuração do e-Lalur

 

O período cadastrado é exibido na tela Administrador do e-Lalur. Para exibir os detalhes, basta, clicar na seta amarela correspondente.

 

Tela 39 – Apresentação de apuração cadastrada

 

Se a apuração for cadastrada como Receita Bruta, então a janela de detalhes exibirá apenas o campo Valor de Estimativa com Base na Receita Bruta para ser preenchido.

 

Tela 40 – Tela de detalhes de apuração com estimativa por Receita Bruta

 

Observação: o valor informado no campo Valor de Estimativa com Base na Receita Bruta é escriturado na linha 2 dos registros N500 e N650 que referem-se aos valores da base de cálculo do IRPJ e da CSLL. Esse valor também é transferido automaticamente para a linha 1 dos registros N620 e N660 – Base de Cálculo do Imposto de Renda e CSLL.

 

Já se o campo Estimativa Por? for preenchido com Balanço/Balancete de Suspensão/Redução, então a janela de detalhes exibirá três abas: Parte A, Parte B e Demonstrações da BC do IRPJ.

 

Tela 41 – Detalhamento da apuração com estimativa por Balanço/Balancete de suspensão/Redução

 

Nas abas da Parte A e Parte B, devem ser feitos os lançamentos da apuração. Existem quatro tipos de relacionamento para os lançamentos de acordo com o manual da ECF.

 

  • Tipo 1 – Com conta da Parte B;
  • Tipo 2 – Com conta contábil;
  • Tipo 3 – Com conta da parte B e Conta Contábil;
  • Tipo 4 – Sem relacionamento.

 

5.4.1 – Aba Parte A

Os lançamentos do Tipo 2 são feitos na aba Parte A. Os lançamentos desse tipo são os lançamentos com conta contábil. Existem algumas formas de fazê-los.

 

Uma delas é com o botão Recarregar LCMs. No entanto, para recarregar o lançamento contábil como lançamento na parte A, é necessário ter uma conta Lalur cadastrada, uma conta contábil mapeada para uma conta Lalur já existente e lançamentos contábeis no período para a conta mapeada.

 

Tela 42 – Botão para carregar LCMs para a parte A

 

Os lançamentos efetuados na conta contábil serão carregados para o e-Lalur com base na configuração do campo Carregar para e-Lalur/e-Lacs do Lançamento Contábil Manual. Como padrão, o campo é preenchido com a opção Ambos (lembramos que somente serão carregados os valores de contas contábeis mapeadas conforme tópico 5.2).

 

Tela 43 – Campo para configurar a inclusão do LCM no e-Lalur e no e-Lacs

 

Observação: A funcionalidade Recarregar LCMs carregará, apenas, os lançamentos do tipo N (normal). Os lançamentos do tipo E (encerramento) e X (extemporâneo) não são carregados. No entanto, os lançamentos extemporâneos podem ser inseridos manualmente.

 

Os lançamentos serão apresentados na tabela. Depois, para conferir as informações, é possível clicar na seta amarela correspondente aos lançamentos. Eles são agrupados pela mesma data.

 

Tela 44 – Exemplo de LCM carregado

 

Para verificar os lançamentos que compõem o valor, é possível acessar através da seta amarela da coluna LCMs.

 

Tela 45 – Detalhes do LCM

 

Observação: A seta amarela desta coluna só aparece para lançamentos carregados com o botão Recarregar LCMs.

 

Nessa tela, é possível selecionar lançamentos e, clicar no botão Remover, para que não façam parte da escrituração do Lalur.

 

Se a opção Controlar na Parte B da tela Mapeamento de Contas do e-Lalur estiver configurada como SIM, automaticamente os valores lançados na Parte A por meio do botão Recarregar LCMs serão escriturados na Parte B. Esse é o Tipo de relacionamento 3.

 

A segunda forma de lançamento do Tipo 2, é através do botão Novo Lançamento.

 

Tela 46 – Botão para lançamento do tipo 2 na parte A

 

Na janela que é exibida, é necessário preencher o campo Conta com uma conta Lalur cadastrada.

 

Tela 47 – Seleção da conta do Lalur para informar lançamento contábil de forma manual

 

Observação: O campo Referência IRPJ será preenchido automaticamente, de acordo com o cadastro da conta Lalur, porém, é possível alterar a informação se o usuário desejar.

 

Depois, ainda é necessário escolher a Conta Contábil.

 

Tela 48 – Ao clicar no botão no final do campo, o plano de contas é exibido para seleção

 

Ao selecionar uma conta contábil, selecione também o Nº do Lançamento e preencha as demais informações.

 

Tela 49 – Clique no campo para escolher o lançamento que deseja incluir

 

Ao clicar com a tecla TAB no campo Nº do Lançamento é habilitada uma tela de pesquisa, onde são exibidos todos os lançamentos da conta dentro do período para seleção. É possível selecionar mais de um lançamento utilizando a tecla CTRL.

 

Tela 50 – Tela Pesquisa para seleção de lançamento de forma manual

 

Observação: se for inserido um número de LCM que não existe ou um que possua mais de uma linha para a mesma conta serão apresentadas mensagens de alerta do sistema.

 

Tela 51 – Mensagem apresentada quando for inserido um número de LCM que não existe

 

Tela 52 – Mensagem apresentada quando o LCM informado possui mais de uma linha para a mesma conta

 

Os demais campos devem ser preenchidos manualmente.

 

Tela 53 – Campos a serem preenchidos ao inserir lançamentos de forma manual

 

Observação: o campo Data é preenchido automaticamente se for selecionado apenas um lançamento.

 

É possível duplicar esses lançamentos para o e-Lacs por meio do botão Duplicar para e-Lacs. No entanto, se o lançamento for excluído do e-Lalur, essa exclusão não será feita de forma automática no e-Lacs.

 

Tela 54 – Botão para duplicar lançamento para o e-Lacs

 

A opção Controlar na Parte B lança automaticamente na Parte B o valor inserido de forma manual na parte A. Esse é o tipo de relacionamento 3.

 

Tela 55 – Opções para Controlar na Parte B valores lançados de forma manual na Parte A.

 

Observação: lembramos que os lançamentos contábeis informados no e-Lalur e no e-Lacs podem ser cruzados com a ECD – Escrituração Contábil Digital e, por esse motivo, as informações devem ser as mesmas.

 

Para fazer lançamentos sem relacionamento, Tipo 4, os campos Conta Contábil e Nº do Lançamento não devem ser preenchidos.

 

Tela 56 – Para lançamento do tipo 4, os campos Conta Contábil e Nº do Lançamento devem ficar em branco

 

Finalizada a apuração do mês, para que as informações sejam escrituradas nos respectivos registros da ECF, é necessário Bloquear Apuração.

 

Tela 57 – Botão para bloqueio da apuração pode ser utilizado em qualquer uma das três abas

 

Observação: Se a apuração estiver bloqueada, não será possível alterar ou remover lançamentos na Parte A ou Parte B tanto do e-Lalur como do e-Lacs.

 

Se necessário, é possível reabrir a escrituração, acessando o período desejado na tela Cadastro de Apuração do Lalur e clicando no botão Reabrir Apuração.

 

Tela 58 – Reabertura da apuração para edição de informações

 

Observações:

  • As orientações desse tópico também se aplicam ao e-Lacs.
  • Caso exista alguma alteração após o cadastro da apuração, é possível recarregar os lançamentos contábeis por meio do botão Recarregar LCMs, desde que a apuração esteja aberta.
  • Os históricos que serão escriturados podem ser editados diretamente no M300 após a geração dos registros conforme tópico 6.5.

 

5.4.2 – Aba Parte B

Os lançamentos do Tipo 1 são feitos na aba Parte B. Clique no botão Novo Lançamento.

 

Tela 59 – Clique em Novo Lançamento para adicionar lançamentos

 

Na janela que é exibida, para caracterizar o Tipo 1, o campo Reflexo na Parte A deve ser configurado como Sim. E o campo Tipo de Reflexo, deve ser preenchido.

 

Tela 60 – Configuração para lançamento com conta da parte B

 

Nessa aba, também devem ser lançados os valores controlados na Parte B sem reflexo na Parte A.

 

Outra opção para inserir as informações, é utilizar os botões Salvar Modelo e Importar Dados, que utiliza um arquivo XLS para a importação das informações. Para utilizar essa funcionalidade é necessário que o programa leitor de XLS esteja instalado na máquina cliente.

 

Tela 61 – Possibilidade de importação de arquivo para a Parte B

 

Utilize o botão Salvar Modelo para gerar o arquivo base em uma pasta local. Ao clicar no botão, será exibida uma janela na qual é possível escolher a pasta onde será gerado o arquivo. Não se esqueça de nomeá-lo.

Abra o arquivo gerado, preencha as informações, depois, de volta à janela, utilize o botão Importar Dados para trazer as informações do arquivo XLS.

Será exibida a janela para selecionar o arquivo modelo que foi gerado e preenchido anteriormente.

 

Observação: Para a primeira geração dos saldos iniciais do registro M010, é necessário cadastrar as informações na parte B do e-Lalur e/ou do e-Lacs abrindo um novo período de apuração com data do exercício anterior. Por exemplo, no caso de saldo anterior a 2014, sugerimos a abertura de um período para o e-Lalur e para o e-Lacs com data de 31/12/2013 para informar os saldos.

 

Se a opção Controlar na Parte B da tela Mapeamento de Contas do e-Lalur estiver configurada como SIM, automaticamente os valores lançados na Parte A por meio do botão Recarregar LCMs serão escriturados na Parte B. O mesmo acontecerá para os lançamentos manuais da Parte A quando o campo Controlar na Parte B for preenchido com Considerar o lançamento como Débito na Parte B ou Considerar o lançamento como Crédito na Parte B.

 

Observação: Se a apuração estiver bloqueada, não será possível alterar ou remover lançamentos na Parte A ou Parte B tanto do e-Lalur como do e-Lacs.

 

Se necessário, é possível reabrir a escrituração, acessando o período desejado na tela Cadastro de Apuração do Lalur e clicando no botão Reabrir Apuração.

 

Tela 62 – Reabertura da apuração para edição de informações

 

5.4.3 – Aba Demonstrações da BC do IRPJ

A aba Demonstrações da BC do IRPJ foi desenvolvida para auxiliar o usuário na conferência dos valores que serão gerados para a apuração em cada período.

Os valores das contas de adição e de exclusão são exibidos nas respectivas tabelas com os valores acumulados até o período selecionado.

Apenas os valores de compensação não são exibidos de forma acumulada. Pois, de acordo com o RIR/99, deve ser considerado para apuração apenas o valor referente a cada período.

 

Tela 63 – Aba de demonstrações com exemplo de lançamentos em contas de adição

 

Observação: Ao clicar na seta amarela, é possível conferir os detalhes dos lançamentos de cada conta.

 

Tela 64 – Detalhes dos lançamentos podem ser conferidos por código de referência

 

No campo RESULTADO ACUMULADO, o usuário pode inserir um valor de resultado apurado anteriormente. O sistema fará o calculo dos lançamentos e ajustes e exibirá o valor do Lucro/Prejuizo Fiscal no rodapé da janela.

 

Tela 65 – O sistema calcula o valor do campo RESULTADO ACUMULADO e exibe o Lucro/Prejuízo Fiscal

 

Observação: Os campos de RESULTADO ACUMULADO e Lucro/Prejuízo Fiscal não afetam os valores das apurações e nem a geração do arquivo. O valor apurado nessa tela é apenas para visualização, pois para a escrituração da ECF, o próprio PVA calcula a base de cálculo dos tributos de acordo com as demonstrações contábeis e com as informações de adição e exclusão do e-Lalur e e-Lacs.

 

Os valores lançados no e-Lalur e no e-Lacs serão automaticamente carregados para a ECF no momento da criação da escrituração conforme tópico 6. Se for realizada qualquer alteração no e-Lalur e/ou no e-Lacs após a criação da escrituração, os saldos devem ser recarregados por meio do botão Recarregar Saldos.

 

Tela 66 – Botão para recarregar saldos

 

5.4.4 – Apuração de Estimativas Mensais Por Meio de Receita Bruta

Para as empresas que adotarem a apuração da estimativa com base na Receita Bruta em determinado mês, também deverão cadastrar a apuração com base no Balanço/Balancete de Suspensão/Redução para que o sistema acumule as adições e exclusões corretamente para os períodos seguintes e para a apuração anual.

 

Tela 67 – Exemplo de apuração com base na Receita Bruta para os meses de março e abril

 

A definição sobre a apuração a ser escriturada no arquivo da ECF continuará sendo realizada na aba Parâmetros da Tributação do Cadastro da ECF.

 

Tela 68 – Aba Parâmetros da Tributação para determinar as estimativas mensais

 

6 – GERAÇÃO DE ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL

Após a realização das configurações e dos cadastros já é possível gerar uma ECF para a empresa. Para isso, clique no botão Nova Escrituração.

 

Tela 69 – Botão para geração da escrituração da ECF

 

Observação: Não é possível criar uma escrituração com o ano calendário igual ao ano atual. Apenas se a empresa tiver situação especial.

 

Tela 70 – Configuração de Situação Especial e Outros Eventos

 

Será exibida uma janela para a seleção da Empresa, do Período e para o preenchimento de diversas informações.

 

6.1 – Aba Identificação

Na aba de Identificação, alguns dados já são preenchidos, de acordo com as informações de cadastro da empresa. No entanto, esses dados devem ser conferidos e validados pelo usuário.

 

Tela 71 – Identificação da escrituração

 

Para o ano calendário de 2015 ou superior, não se deve utilizar a opção 3 – Resultante de transformação, no campo Indicador de Início de Período. O sistema exibe uma mensagem de alerta se a opção for selecionada.

No campo Situação Especial e Outros Eventos, a partir do ano calendário 2015, também não é mais permitida à utilização da opção 7 – Transformação. O sistema exibe uma mensagem de alerta se a opção for selecionada.

 

6.2 – Aba Parâmetros de Tributação

Nas abas de Parâmetros de Tributação, Parâmetros Complementares e Informações Econômicas, os parâmetros devem ser preenchidos com atenção, pois, eles determinam os registros que devem ser preenchidos para a ECF. A orientação sobre cada parâmetro pode ser obtida no Manual de Orientação da ECF da Receita Federal.

 

Tela 72 – Parâmetros de Tributação para a escrituração da ECF

 

Na versão 0001 do leiaute da ECF, o campo Diferenças entre Contabilidade Societária e FCOnt é desabilitado se o campo Extinção do RTT Ano-Calendário 2014 for configurado como Não.

Já na versão 0002, usada em escriturações a partir do ano calendário 2015, o comportamento do campo Diferenças entre Contabilidade Societária e FCont é invertido, ou seja, ele será bloqueado se o campo Extinção do RTT Ano Calendário 2014 for configurado como Sim.

Porém, se o campo Extinção do RTT Ano Calendário 2014 for configurado como Não, então, o campo Diferenças entre Contabilidade Societária e FCont deve ser preenchido.

 

Observação: Esta configuração se reflete na geração do registro Y665, referente ao Demonstrativo das Diferenças na Adoção Inicial.

 

Para entrega da ECF no leiaute 3, referente ao ano calendário de 2016, se a escrituração for cadastrada para empresas com a Forma de Tributação configurada como Lucro Presumido, Lucro Presumido / Real, Lucro Presumido / Arbitrado ou Lucro Presumido / Real / Arbitrado, é necessário configurar também o campo Ind. Reconhecimento de Receita do Lucro Presumido, com a opção 1 – Regime de Caixa ou 2 – Regime de Competência.

 

Tela 73 – No leiaute 3 é necessário indicar o reconhecimento de receita do Lucro Presumido

 

Observação: O campo Ind. Reconhecimento de Receita do Lucro Presumido, só é habilitado se a Forma de Tributação estiver com qualquer configuração de Lucro Presumido, (opções 3, 4, 5 ou 7).

 

No campo Tipo de Escrituração, as opções existentes são:

  • L – Livro Caixa ou não obrigadas a entregar a ECF ou entrega facultativa da ECD sem recuperação de dados; ou
  • C – Obrigadas a entregar a ECD ou entrega facultativa da ECD com recuperação de dados.

 

Tela 74 – Opções atualizadas para o campo Tipo da Escrituração

 

6.3 – Aba Parâmetros Complementares

 

Tela 75 – Parâmetros Complementares para a escrituração da ECF

 

Nas escriturações com ano calendário a partir de 2015 até 2018, de empresas com regime normal, o campo PJ Sujeita à Alíquota da CSLL é habilitado com as opções 1 – 09% (à partir de 2015), 2 – 17% (de 2015 à 2018) e 3 – 20% (de 2015 à 2018). Para escriturações a partir do ano calendário 2019, têm-se a possibilidade de utilizar a opção 4 – 15% (à partir de 2019). Além da opção em branco para empresas imunes ou isentas do IRPJ.

 

Observação: As opções S – Sim e N – Não devem ser utilizadas apenas para o ano-calendário 2014.

 

Tela 76 – Opções disponíveis a partir do ano calendário 2015

 

6.4 – Aba Informações Econômicas

 

Tela 77 – Informações Econômicas para a escrituração da ECF

 

6.4.1 – Aba Identificação dos Tipos de Programa

Para o leiaute 3, se o campo Repes, Recap, Padis, PATVD, Reidi, Repenec, Reicomp, Retaero, Recine, Resíduos Sólidos, Recopa, Copa do Mundo, Retid, REPNBL-Redes, REIF e Olimpíadas estiver preenchido como Sim, a aba Identificação dos Tipos de Programa será habilitada.

 

Tela 78 – Aba é habilitada quando a opção dos tipos de programa estiver como Sim

 

Na aba habilitada, ao menos uma opção deve ser informada como Sim.

 

Tela 79 – Aba Identificação dos Tipos de Programa: o menos um dos campos deve ser configurado como Sim

 

Após o preenchimento de todas as abas, é necessário clicar em Atualizar. Uma mensagem é exibida solicitando a confirmação para gravação da escrituração.

 

Tela 80 – Solicitação de confirmação para gravar a escrituração

 

Após a confirmação, o sistema realizará a carga dos registros que possuem informações no SAP Business One e apresentará a escrituração gerada na tela Administrador de Escrituração da ECF.

 

Tela 81 – Apresentação da ECF gerada

 

É possível conferir alguns dados da escrituração: Data Inicial, Data Final, CNPJ, Razão Social, Forma de Tributação e a Versão do leiaute utilizado.

 

6.5 – Aba Registros

Ao acessar a escrituração gerada, por meio da seta amarela, é possível observar que a aba Registros é habilitada. Na tabela de cima aparecem os registros gerais e na tabela de baixo os registros por período de apuração.

 

Tela 82 – Registros da ECF no exemplo de Lucro Real – apuração anual/balancete de suspensão/redução

 

Tela 83 – Registros da ECF no exemplo de Lucro Presumido

 

Observação: Para empresas do lucro presumido, mesmo com o encerramento anual, o sistema gera os registros K355 e P150 apenas com os valores do trimestre de referência, pois, de acordo com a Receita Federal, esses registros devem seguir o período de apuração do tributo. Para o cenário no qual o período de encerramento é diferente do período de apuração dos tributos, a Receita Federal divulgou a seguinte orientação para evitar inconsistências entre a ECD e a ECF:

 

Tela 84 – Orientação da Receita Federal sobre encerramento do exercício diferente da apuração dos tributos

 

Tela 85 – Registros da ECF no exemplo de Lucro Arbitrado

 

Tela 86 – Registros da ECF no exemplo de Entidade Imune

 

De acordo com os exemplos, observe que os registros da ECF são gerados conforme as configurações cadastradas para a empresa.

 

Observação: Se houver qualquer modificação no cadastro das empresas, no mapeamento de contas, nos lançamentos do e-Lalur e e-Lacs ou nas informações dos registros após a criação da escrituração, então é necessário utilizar o botão Recarregar Saldos.

 

Tela 87 – Botão para recarregar saldos

 

7 – OUTRAS INFORMAÇÕES PARA GERAÇÃO DO ARQUIVO DA ECF

O sistema gera automaticamente as informações de plano de contas, plano de contas referencial, balanço, DRE, Lalur, Lacs e dos registros mapeados conforme tópico 4.4.

Para os demais registros, como não é possível mapear as informações do SAP Business One, é necessário inserir manualmente. Para isso, basta clicar na seta amarela correspondente ao registro que deve ser informado.

 

Tela 88 – Exemplo de registro que deve ser preenchido manualmente

 

Nos tópicos seguintes, seguem observações sobre alguns registros que devem ser inseridos manualmente.

 

7.1 – Bloco L

 

7.1.1 – Registro L210 – Informativo da Composição de Custos

A partir do leiaute 3 da ECF, para o Registro L210, é possível informar valores negativos.

 

Tela 89 – Janela para inserir informações do Registro L210

 

7.2 – Bloco M

 

7.2.1 – Identificação da origem do saldo da Parte B nos casos de eventos especiais – CNPJ da empresa – Campo 11 do registro M010

Para saldos controlados na Parte B que tiverem origem em eventos especiais, é necessário identificar o CNPJ da empresa que originou o valor. Essa identificação deve ser feita na janela do registro M010.

 

Tela 90 – Cadastro do CNPJ da empresa que originou o valor

 

A coluna Cód. Tabela Padrão Parte B tem como função, apenas, a visualização do código da tabela padrão da parte B atribuído ao registro M010, ou seja, é apenas para conferência do que será apresentado no arquivo da ECF. Qualquer necessidade de alteração deve ser realizada no cadastro conforme Tópico 5.1.

 

Tela 91 – Coluna Cód. Tabela Padrão Parte B

 

7.3 – Bloco N

 

7.3.1 – Cálculo do IRPJ e da CSLL – Lucro Real

A partir do ano calendário 2015, as informações de Subtotal (até 6%) e Incentivo FUNRES (até 9%) não são mais consideradas para a geração do registro N615.

 

7.4 – Bloco Q – Livro Caixa

O Bloco Q é gerado por empresas com Forma de Tributação em Lucro Presumido e que utilizam o Tipo de Escrituração como Livro Caixa.

 

Observação: A Geração do Bloco Q atende apenas os cenários com indicadores de receita pelo Regime de Caixa.

 

Tela 92 – Bloco Q é gerado para empresas do Lucro Presumido e que utilizam Livro Caixa

 

Na aba Registros, é possível utilizar a seta amarela de Demonstrativo do Livro Caixa para acessar a janela para cadastro das informações.

 

Tela 93 – Acesso à janela de cadastro das informações para o Bloco Q

 

Na janela que é exibida, o cabeçalho mostra as informações para identificação da escrituração, as informações cadastradas ficam na tabela e os botões no rodapé permitem as ações de cadastro de novas informações.

 

Tela 94 – Janela de cadastro das informações do Bloco Q

 

Utilize o botão Cadastrar para inserir novas informações.

 

Tela 95 – Insira as informações e clique em Gravar

 

Observação: Ao clicar no botão Gravar, o sistema exibe uma mensagem de confirmação antes de adicionar as informações.

 

Se for necessário excluir alguma informação, é necessário selecionar a linha, depois, utilizar o botão Excluir.

 

Tela 96 – Selecione as linhas a serem excluídas depois clique em Excluir

 

Outra opção para inserir as informações, é utilizar os botões Salvar Modelo e Importar Dados, que utiliza um arquivo XLS para a importação das informações. Para utilizar essa funcionalidade é necessário que o programa leitor de XLS esteja instalado na máquina cliente.

 

Tela 97 – Opção para importar informações do Bloco Q de arquivo em Excel

 

Utilize o botão Salvar Modelo para gerar o arquivo base em uma pasta local. Ao clicar no botão, será exibida uma janela na qual é possível escolher a pasta onde será gerado o arquivo. Não se esqueça de nomeá-lo.

Abra o arquivo gerado, preencha as informações, depois, de volta à janela do Bloco Q, utilize o botão Importar Dados para trazer as informações do arquivo XLS.

Será exibida a janela para selecionar o arquivo modelo que foi gerado e preenchido anteriormente.

 

Observação: Para o ano calendário de 2015, a geração do Bloco Q no arquivo da ECF é facultativa.

 

7.5 – Bloco V – Declaração Sobre Utilização dos Recursos em Moeda Estrangeira Decorrentes do Recebimento de Exportações – (DEREX)

As informações do Bloco V são geradas apenas para escriturações a partir do ano-calendário 2017, portanto, para habilitar o campo de DEREX, na aba de Parametros Complementares, a Data Inicial deve ser configurada com data de 2017.

 

Tela 98 – Habilitação do campo DEREX apenas pata data ano-calendário 2017

 

Ao criar a escrituração com o campo DEREX configurado como Sim, as informações do Bloco V ficam disponíveis na aba Registros.

 

Tela 99 – Informações do Bloco V disponíveis

 

Ao clicar na seta amarela correspondente, a janela para cadastro de informações é exibida. Clique no botão Cadastrar para inserir os dados.

 

Tela 100 – Janela para cadastro de informações da DEREX

 

7.6 – Bloco X – Informações Econômicas

 

7.6.1 – Registro X320 – Operações com o Exterior – Importações (Saída de Divisas)

Para o preenchimento das informações do registro X320, existe a funcionalidade de importar as informações a partir de um arquivo XLS. Para utilizar essa funcionalidade é necessário que o programa leitor de XLS esteja instalado na máquina cliente.

 

Utilize o botão Salvar Modelo para gerar o arquivo base em uma pasta local. Ao clicar no botão, será exibida uma janela na qual é possível escolher a pasta onde será gerado o arquivo. Não se esqueça de nomear o arquivo.

 

Tela 101 – Utilize o botão Salvar Modelo para gerar o arquivo base

 

Abra o arquivo gerado, preencha as informações, depois, de volta à janela do registro X320, utilize o botão Importar Dados para trazer as informações do arquivo XLS.

 

Tela 102 – Utilize o botão Importar Dados para trazer as informações do arquivo modelo

 

Será exibida a janela para selecionar o arquivo modelo que foi gerado e preenchido anteriormente.

 

7.6.2 – Registro X340 – Identificação da Participação no Exterior

O campo NIF é obrigatório e o sistema não permite a gravação das informações enquanto o campo estiver em branco. Segundo o Guia Prático da ECF, caso a investida não possua NIF, deve-se utilizar o código 0000. Se o mesmo país, diferente do Brasil, não tem NIF, deve-se utilizar a sequência, conforme a quantidade de investidas, por exemplo: 0001, 0002, 0003.

 

No registro X340, o campo CNPJ da Investida no Brasil também se torna disponível, a partir do ano calendário 2015. Para habilitá-lo, o campo País deve estar preenchido com BRASIL.

 

Tela 103 – Campo de CNPJ da Investida no Brasil do registro X340

 

No leiaute 3, para entrega do arquivo referente ao ano calendário 2016, foi criado o campo para informar a Moeda do País de Domicílio.

 

Tela 104 – Campo para informar a Moeda do País de Domicílio para o registro X340

 

7.6.3 – Registro X353 – Demonstrativo de Consolidação

Este registro será habilitado, ao configurar o campo Indicador de Controle do registro X340, com qualquer opção que seja diferente da opção 6 – Coligada em Regime Caixa.

 

Tela 105 – Opções para habilitar o registro X353

 

Após gravar as informações do registro X340, selecione a linha para habilitar a aba X353, possibilitando o cadastro das informações do registro.

 

Tela 106 – Aba do registro X353

 

A partir do leiaute 005 da ECF, têm-se a possibilidade de informar os valores do Resultado (positivo ou negativo) Próprio da Controlada no Período na Moeda do País Domicílio e do Resultado (positivo ou negativo) Próprio da Controlada no Período em Reais a serem carregados no registro X353.

 

Tela 107 – Informações para o Registro X353

 

Observação: é possível informar os valores do Resultado (positivo ou negativo) Próprio da Controlada no Período na Moeda do País Domicílio e do Resultado (positivo ou negativo) Próprio da Controlada no Período em Reais a serem carregados no registro X353.

 

7.6.4 – Registro X357 – Investidoras Diretas

A partir do leiaute 005 da ECF, foi incluído o registro X357 para informar as investidoras diretas das participações informadas no registro X340. Este registro será habilitado, ao configurar o campo Indicador de Controle do registro X340, com qualquer opção que seja diferente da opção 5 – Filial ou Sucursal.

 

Tela 108 – Opções a serem selecionadas no registro X340 para habilitar o registro X357

 

Após gravar as informações do registro X340, selecione a linha para habilitar a aba X357, possibilitando o cadastro das informações do registro.

 

Tela 109 – Aba do registro X357

 

Tela 110 – Informações para o registro X357

 

7.7 – Bloco Y – Informações Gerais

 

7.7.1 – Registro Y520 – Pagamentos/Recebimentos do Exterior ou de Não Residentes

No preenchimento do registro Y520, o add-on verifica as informações de Tipo, País e Natureza da Operação. Se essas forem iguais a uma informação já cadastrada, então o sistema substituirá a linha dessas informações. Se for diferente, então, a linha será adicionada.

Há a possibilidade de preencher as informações a partir de um arquivo modelo XLS (Excel). Para utilizar essa funcionalidade é necessário que o programa leitor de XLS esteja instalado na máquina cliente.

O botão Salvar Modelo abre uma janela do Windows para que o usuário escolha uma pasta onde será salvo o modelo. Escolha a pasta e salve o arquivo. O sistema exibirá uma mensagem de confirmação.

 

Tela 111 – Botões para importar informações a partir do arquivo modelo para o Registro Y520

 

Abra o arquivo XLS gerado e edite as informações a serem importadas. Depois utilize o botão Importar Dados para selecionar o arquivo XLS editado e importar as informações referentes ao registro Y520.

 

7.7.2 – Registro Y570 – Demonstrativo do Imposto de Renda e CSLL Retidos na Fonte

Para o registro Y570, referente ao Demonstrativo do Imposto de Renda, CSLL e Contribuição Previdenciária Retidos na Fonte, há a possibilidade de preencher as informações a partir de um arquivo modelo XLS (Excel). Para utilizar essa funcionalidade é necessário que o programa leitor de XLS esteja instalado na máquina cliente.

Clique na seta amarela do registro Y570.

 

Tela 112 – Acesso à janela para preenchimento das informações do Registro Y570

 

Na janela que é exibida, existem dois botões no rodapé: Salvar Modelo e Importar Dados.

 

Tela 113 – Botões para importar informações a partir do arquivo modelo para o Registro Y570

 

O botão Salvar Modelo abre uma janela do Windows para que o usuário escolha uma pasta onde será salvo o modelo. Escolha a pasta e salve o arquivo. O sistema exibirá uma mensagem de confirmação.

 

Tela 114 – O sistema exibe uma mensagem de confirmação

 

Abra o arquivo XLS gerado e edite as informações a serem importadas. Depois utilize o botão Importar Dados para selecionar o arquivo XLS editado e importar as informações referentes ao registro Y570.

 

Tela 115 – O sistema exibe mensagem de confirmação da importação

 

7.7.3 – Registro Y672 – Outras Informações (Lucro Presumido ou Lucro Arbitrado)

Os campos Valor Total da Folha à Alíq Reduzida – Lei nº 11.774/2008 e Alíquota Reduzida – Lei nº 11.774/2008, a partir do leiaute 005 da ECF, não serão apresentados na geração do registro Y672, e estarão desabilitados para inserção de informações.

 

7.7.4 – Registro Y800 – Outras Informações

Para inserção das informações do Registro Y800, clique na seta amarela correspondente, na aba Registros.

 

Tela 116 – Acesse a janela de preenchimento das informações do registro Y800

 

A janela do registro Y800 será exibida.

 

Tela 117 – Janela para gerenciamento de informações do registro Y800

 

Utilize o botão Importar para importar arquivos RTF. Ao clicar no botão, será exibida uma janela para indicar o caminho da pasta local do arquivo. Se for necessário conferir o conteúdo do arquivo, basta acessar a seta amarela correspondente.

 

Tela 118 – Acesse o documento RTF pela seta amarela correspondente

 

Observação: O campo Hash serve apenas para controlar os arquivos importados. O T10 verifica esse código Hash e não permite a importação do mesmo arquivo.

 

7.8 – Bloco W – Declaração País-a-País

Se o campo Entidade Integrante de Multinacional IN 1.681/2016, for configurado como Sim, as janelas para inserção das informações do Bloco W serão habilitadas na aba Registros após cadastrar a escrituração.

 

Tela 119 – Configuração de Entidade de Multinacional, referente ao Bloco W

 

Tela 120 – Registros do Bloco W habilitados para inserção de informação

 

Ao clicar nas setas amarelas correspondentes, é possível acessar as janelas dos Registros W100 e W300.

 

Tela 121 – Janela para cadastro das informações do Registro W100

 

Tela 122 – Janela para cadastro de informações do Registro W300

 

Na janela do Registro W100, se o campo Moeda utilizada nas informações em valores estiver diferente de REAL BRASIL, a janela habilitará a aba do Registro W200.

 

Tela 123 – Aba do Registro W200 habilitada

 

Sempre que houver informação para o Registro W200, é necessário cadastrar informações para o Registro W250 também.

 

Tela 124 – Botão para cadastrar informações do Registro W200

 

Tela 125 – Botão para cadastrar informações do Registro W250

 

7.9 – Bloco 0 – Abertura, Identificação e Referências

 

7.9.1 – Registro 0930 – Identificação dos Signatários da Escrituração

É necessário realizar o preenchimento do Registro 0930 (Identificação dos signatários da ECF). O acesso, para o preenchimento do registro, se dá pelo seguinte caminho:

ECF > Cadastro de Escrituração > Seta amarela da escrituração > Aba Registros > Bloco 0 Abertura e Identificação > Seta amarela do registro 0930

 

Tela 126 – Acesso ao preenchimento do Registro 0930

 

Para realizar o preenchimento do Registro 0930 é necessário clicar no botão cadastrar, que habilitará a tela de preenchimento do registro.

 

Tela 127 – Campos para preenchimento do Registro 0930 – Signatários da ECF

 

7.10 – Bloco K

 

7.10.1 – Registro K355 – Saldos finais das contas contábeis de resultado antes do encerramento

Não serão exibidas, no registro K355, contas contábeis sem saldo inicial e sem movimentação no ano de Escrituração.

 

8 – CENÁRIO ESPECÍFICOS

 

8.1 – Criação de ECF – Sócia Ostensiva

Para realizar a geração do arquivo da Sócia Ostensiva, ao criar uma nova escrituração, no Cadastro de Escrituração da ECF é necessário informar no campo Tipo da ECF, a opção 1-ECF de empresa participante de SCP como sócio ostensivo e a quantidade de SCPs no campo Quantidade de SCP da PJ.

 

Tela 128 – Exemplo de preenchimento para arquivo de sócia ostensiva

 

Em seguida, preencha os dados (CNPJ e Nome) da SCP no registro 0035, que é aberto após a criação da escrituração.

 

Tela 129 – Preencha as informações do registro 0035 identificando as SCPs

 

8.2 – Criação de ECF – SCP (Sociedade em Conta de Participação)

Ao criar uma nova escrituração para a SCP, o campo CNPJ deve ser alterado para informar o CNPJ da sócia ostensiva. O campo Tipo ECF deve ser preenchido com a opção 2- ECF da SCP e no campo Identificação da SCP deve ser informado o CNPJ da própria SCP.

 

Tela 130 – Exemplo de preenchimento para arquivo de SCP

 

Observação: O cadastro das empresas na Configuração deve ser realizado normalmente como empresas distintas, ou seja, ambas como Matriz.

 

9 – GERAÇÃO DO ARQUIVO

A partir da tela de Cadastro da escrituração da ECF é possível gerar o arquivo para a validação no PVA. Clique no botão Gerar Arquivo, o T10 perguntará qual é o local no qual deve ser salvo o arquivo TXT.

 

Tela 131 – Botão para gerar o arquivo TXT da ECF

 

10 – IMPORTAÇÃO DO ARQUIVO NO PGE

Com o arquivo TXT gerado e pronto para validação no PGE, abra o programa e clique no segundo botão do menu, o que tem a função de importar a escrituração da ECF.

 

Tela 132 – Botão para importar o arquivo gerado pelo T10 Extreme

 

Uma janela de gerenciamento de arquivos será exibida. Nesta janela, escolha o arquivo TXT gerado pelo T10 Extreme.

 

Tela 133 – Escolha o arquivo gerado pelo T10 Extreme

 

O PGE oferece a oportunidade para escolher os blocos a serem importados na escrituração. É possível inserir ou sobrescrever as informações.

 

Tela 134 – Seleção dos blocos a serem importados no exemplo de Lucro Real

 

O sistema apresenta, ainda, a mensagem sobre a atualização dos campos de transporte. Sugerimos a confirmação por meio do botão Sim.

 

Tela 135 – Confirme a atualização dos campos de transporte automaticamente

 

Depois de carregar as informações do arquivo da ECF, o usuário deve recuperar a ECD entregue para o mesmo ano-calendário.

 

Tela 136 – Recuperação da ECD entregue do mesmo período

 

A partir do ano-calendário de 2015, também será necessária a recuperação da ECF do ano anterior:

 

Tela 137 – Recuperação da ECF do ano anterior

Updated on 18 de novembro de 2020

Essa instrução foi útil?

Top
MODAL 01