Para alcançar novos objetivos, é preciso pensar fora da caixinha. Leia essa matéria e descubra como.

A busca por conforto é inerente ao ser humano e faz parte de nossa evolução como espécie. Na pré-histórica, nossos ancestrais começaram a cultivar alimentos, construir abrigos e, até mesmo, a domesticar animais, para obterem um pouco de comodidade.

Ao longo do tempo, essa busca foi se aprimorando e se intensificando, até chegar ao ponto de, hoje em dia, podermos fazer quase tudo através da Internet, sem precisarmos sair de nossas casas.

Ablogskille que esse conforto acabou se estendendo também para o nosso campo psicológico e parece cada vez mais difícil termos ideias inovadoras, pois estamos aprisionados nas facilidades que nós mesmos criamos.

Quantas vezes você já sentiu preguiça ou medo de aprender sobre um assunto novo? E de começar um hobby diferente? Quantas vezes você ficou estacado, tentando encontrar soluções para problemas aparentemente simples? Pois é! Esses são alguns dos sintomas da zona de conforto mental.

Essa condição pode ser prejudicial para diversos setores de nossas vidas. No âmbito pessoal, ele pode nos fazer viajar sempre para os mesmos lugares ou nos relacionar sempre com as mesmas pessoas. Na vida profissional pode ser ainda mais prejudicial, porque impede que você tenha coragem para tomar decisões importantes, como mudar de área e fazer cursos de atualização ou até mesmo de sugerir coisas novas e ser mais proativo.

A psicóloga Priscila Aguiar, integrante do setor de RH do Grupo Skill, aponta características de pessoas que convivem com esse problema. “Indivíduos que possuem medo de encarar sua própria realidade, dores e insatisfações, têm mais propensão a ficarem estagnados no conforto que a rotina lhes traz, pois, assim, sofrem menos frustrações”.

Então, como podemos nos livrar desse problema?

Como sair da zona de conforto mental

Lendo esse texto, você deve ter se dado conta do quanto a zona de conforto mental pode ser contraproducente, então confira como sair dessa cilada!

O primeiro e principal passo para sair da inércia é analisar quantas oportunidades você tem deixado passar por receio de perder a sua comodidade, isso te dará forças para mudar. Se você consegue perceber esse problema, posso ser um indicativo de que as coisas não estejam tão boas assim na calmaria em que você se encontra.

Esse processo pode parecer complicado no início, mas conforme você for fazendo pequenas mudanças e alcançando seus objetivos, vai se sentir mais confiante para seguir em frente.

 É importante também aprender a calcular riscos. Normalmente, a pessoa que se encontra na zona de conforto, acredita que qualquer decisão inovadora ou diferente representa um risco muito grande, mas isso nem sempre é verdade. Avalie o que essa escolha pode te trazer de positivo e arrisque-se se perceber que ela vale a pena.

Por fim, procure levar a vida com mais leveza. Caso cometa um erro, não se cobre tanto, entenda que as falhas fazem parte do crescimento e há sempre uma boa lição a se aprender em cada uma delas. Permita-se!


Compartilhe nas redes
Deixe seu comentário

1 + 11 =