Agora que você já leu Demonstração Combinada (Parte 1) – O que é? e Demonstração Combinada (Parte 2) – As diferentes demonstrações, já entendeu o que é Demonstração e os tipos e aplicações diferentes.

Para concluir esta série, abaixo darei algumas dicas do que deve compor as Demonstrações Combinadas.

  • Somar as entidades que serão combinadas;
  • Elaborar as DFs Combinadas de acordo com os conceitos e técnicas aplicáveis para a consolidação;
  • Eliminar os saldos e transações entre as entidades combinadas, bem como ajustes decorrentes de eventuais resultados ainda não realizados entre essas entidades;
  • Alinhar práticas contábeis;
  • Apresentar todas as peças contábeis exigidas pelo CPC26(R1): Balanço patrimonial, Demonstração do resultado, Demonstração do resultado abrangente, Demonstração das mutações do patrimônio líquido, Demonstração dos fluxos de caixa, Demonstração do valor adicionado (quando aplicável) e Notas explicativas.

Agora ficou fácil!

Todos já estão preparados para elaborar suas demonstrações… Boa sorte!

E se tiver alguma dúvida, poste aqui e responderei.

Veridiana Campioni

Bacharel em Ciências Contábeis, Administradora de Empresas com ênfase em Comércio Exterior, Contadora e sócia do Grupo Skill há 20 anos.


Compartilhe nas redes
Deixe seu comentário

10 − oito =