Não obstante, o executivo PRECISA viver alerta ao atual momento, preocupar-se em prever cenários, atentar-se às decisões do Governo, buscar parceiros estratégicos, entregar o que promete, oferecer qualidade e sempre um algo a mais mirando a fidelização do cliente, reter e desenvolver talentos…. SER ousado, resiliente, criativo em sua atuação, entre outros VERBOS essenciais.

Ele precisa além de tudo isto, OLHAR para si mesmo, ENXERGAR dentro dele.

Estudos realizados pela Korn/Ferry International ao redor do mundo, indicam que esta é a principal carência do executivo.

Em meio a um dia a dia turbilhado, para ser sobrevivente em busca da perpetuidade de sua empresa é muito mais fácil e comum ficar de olho aos impactos e ameaças externas do que dentro de nós.

Nos esquecemos no corre-corre que nossas atitudes também fazem parte do fator sobrevivência (da nossa e do nosso negócio).

Mais do que evitar os dez pecados capitais apontados pelo estudo que podem minar a carreira do executivo é necessário nos VACINAR contra hábitos ruins.

Como???

Através de RECONHECER nossas más ações para depois eliminá-las ou no mínimo neutralizá-las.

Missão de todos os executivos que querem fazer a diferença em sua atuação e servir de exemplo para novas gerações.

Segundo Maquiavel : “Os fins justificam os meios” – os resultados obtidos sempre serão provenientes de nossas ações.

Pesquisa da Korn/Ferry International publicada no Valor EconômicoAtitudes que colocam em risco o futuro profissional.

Viviam Posterli

Administradora de Empresas e Secretária Executiva, Pós-graduada em Gestão Empresarial, MBA em Gestão e Desenvolvimento de Pessoas e MIT em Gestão de Tecnologia da Informação. Trajetória de 23 anos em Gestão Empresarial focando Processos, Pessoas e Tecnologia. Faz parte do Grupo SKILL há 18 anos, atualmente como CIO.


Compartilhe nas redes
Deixe seu comentário

quatro × 4 =