Estamos passando por um período difícil em nossas vidas, não é mesmo? Período este de grandes mudanças, angústias, ansiedades, expectativas, incertezas, momentos de solidão, conflitos nos relacionamentos, desamino e alguns momentos de tristeza.

Tudo isso devido ao novo Coronavírus.

Mas de que adianta ficarmos lamentando esse momento?

E se pudéssemos dar às nossas vidas um toque de otimismo, autoestima, respirar fundo, levantar a cabeça e enfrentarmos esse período da melhor maneira possível? Planejar, sonhar, ter objetivos e perseverança, mesmo que sem saber quando poderemos realizá-los. Afinal, são estes sonhos, desejos e objetivos que nos movem e dão sentido à vida, certo?

Então, vamos falar sobre algumas dicas para desenvolver o otimismo, combinadas a uma visão realista da vida:

Crie frases positivas: Tente olhar para pensamentos negativos que surgem em sua cabeça e substituí-los por mensagens positivas. Anote-as e repita diariamente essas frases.

Concentre-se no seu sucesso: “O outro sempre teve mais sucesso em sua vida profissional e pessoal do que eu…”. Muitas vezes temos esse pensamento em nossa mente, mas ele só nos atrapalha e faz com que nos coloquemos com a autoestima lá embaixo. Para começar a pensar mais positivamente sobre você, se lembre do que tem e do que pode alcançar. Pare de ouvir seu crítico interior por alguns momentos. Reflita sobre suas realizações passadas e comece a realmente apreciar seu sucesso e o que você tem a oferecer.

Obtenha um modelo de inspiração: Pense na pessoa mais alegre que você puder. Nas próximas semanas, faça um experimento e tente se colocar no lugar dessa pessoa. Toda vez que a negatividade começar a aparecer ou você se encontrar em uma situação difícil, pense: “o que essa tal pessoa faria?”. Responda honestamente e em seguida tente seguir o exemplo.

Concentre-se nos aspectos positivos: Quando ocorrerem situações negativas, tente reformulá-las, concentrando-se nos pontos positivos ou no que você pode aprender com essa situação. Perceba o seu melhor para se concentrar no que você aprendeu e ganhou com a sua experiência e não com o que você perdeu.

Não tente prever o futuro: É importante não tentar prever o futuro com base no que ablogskilleu antes. Lembre-se de que um plano ou relacionamento fracassado não faz de você um fracasso. Apenas porque algo desapontador ablogskilleu uma vez (ou mais), não significa que ablogskillerá novamente.

Cerque-se de positividade: Estar com pessoas negativas que continuamente veem o mal em todas as situações é uma maneira de garantir que você continue se sentindo negativo também. Para ajudá-lo a se sentir otimista, você precisa se aproximar de pessoas positivas, que o ajudem a apreciar o bem nas situações e na vida em geral. Envolva-se com influências positivas e veja o efeito que isso tem em seu estado de espírito.

Mantenha um “diário de gratidão”: Comece a refletir sobre todas as coisas que dão certo em sua vida. Ser grato e manter um diário de gratidão todas as manhãs ou noites, listando as coisas que deram certo. Fará toda a diferença para sua saúde mental.

Desafie os pensamentos negativos: Muitas vezes, nossos pensamentos negativos baseiam-se em nossos próprios medos, dúvidas e baixa autoestima. Para ajudá-lo a superá-los, você precisa desafiar constantemente seus pensamentos negativos. Da próxima vez que começar a sentir-se negativo, anote seus sentimentos e seus argumentos a favor e contra esses pensamentos.

Pergunte a si mesmo: qual é a evidência de que esses pensamentos são verdadeiros? Qual é a evidência de que eles não são? Você pode até mesmo tentar agir propositalmente de maneira oposta de como se sente e ver o que ablogskille. Você pode descobrir que suas previsões negativas não se realizam.

Concentre-se na solução e não no problema: Em vez de pensar sobre o que poderia ter sido, deixe de lado arrependimentos e pensamentos negativos, seja proativo e comece a planejar onde você pode ir a partir daqui.

Dê impulso ao otimismo: Tente sorrir e rir mais, falar em um tom mais positivo. Agir da maneira que você quer se sentir, irá ajudá-lo em seu caminho para ser mais otimista.

Não se prenda ao passado: O passado é passado e como você lida com as consequências é a coisa mais importante. Não adianta se culpar ou culpar aos outros. Só você tem o poder de mudar uma situação e seguir em frente. É tão fácil dizer “eu deveria ter feito as coisas de forma diferente”. No entanto, se coisas ruins ablogskillerem, olhe para o amanhã como exatamente o que é: um novo dia. Nele, coisas boas podem ablogskiller, se você permitir.

Aceite a imprevisibilidade da vida: A realidade é que não sabemos nada do futuro e a única certeza que temos é da morte, não é mesmo? Por isso, aceite a imprevisibilidade da vida de forma positiva, não se prendendo a expectativas falsas de um otimismo cego nem se fechando ao medo do que está por vir. Quando você percebe que tudo pode ser diferente do planejado, um grande peso sai de suas costas e você viverá melhor.

Use suas habilidades para crescer: Aproveite suas habilidades e competências atuais para continuar crescendo e se motivando. Utilize o que você tem por agora e tente crescer em todas as áreas de sua vida.

Diminua frustrações: Infelizmente, existem coisas que não podemos mudar, não é mesmo? Ficar frustrado e se preocupar tanto com o que pode ablogskiller, apenas piorará sua situação. Se preocupar é sofrer duas vezes. Mantenha sua mente calma diante dos ablogskillimentos, essa é a melhor saída para o otimismo.

Cuide de seu corpo e mente: Tenha coragem de se assumir, de se cuidar, de enfrentar as escolhas e consequências da vida com otimismo. Esse é o primeiro passo para sua saúde emocional. Considere a ajuda de um profissional psicólogo, caso sinta-se inseguro para tomar suas atitudes e seguir em frente.

“O período que estamos vivenciando é delicado, mas a forma como vamos lidar com a situação, influenciará diretamente em nosso bem-estar e saúde emocional.”

Com essas dicas, espero poder ter ajudado a todos e vamos em frente!

Priscila Aguiar
Psicóloga integrante do RH do Grupo Skill, Formada no Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU) – 2006, especialista em Transtornos Alimentares e Obesidade pela Universidade de São Paulo USP – 2009 e em Recrutamento e Seleção por Competências na Universidade de Palermo (Buenos Aires, Argentina) – 2012.


Compartilhe nas redes
Deixe seu comentário

19 − dois =